São Carlos, Segunda-Feira, 26 de Outubro de 2020

 

 

Notícias
 
 

Projeto desenvolvido na UFSCar recebe prêmio de inovação tecnológica

 
 
  Fonte: Site Ufscar, 07/01/2009  
 
   
 
  Um estudo realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFisio) da UFSCar desenvolveu um aparelho de ultra-sonografia com formato anatômico mais confortável para o trabalho médico.

O projeto "Design ergonômico de transdutores de ultra-sonografia: desenvolvimento e avaliação dos movimentos do punho e percepção de desconforto/agradabilidade" analisou os impactos do uso de sensores de ultra-sonografia. A proposta conquistou a segunda colocação na terceira edição do Prêmio Werner von Siemens de Inovação Tecnológica, na categoria Novas idéias e Ciência & Tecnologia, na modalidade Saúde.

Os estudos foram coordenados por Helenice Coury, professora do Departamento de Fisioterapia, e por Luis Paschoarelli e Ana Beatriz de Oliveira, alunos do PPGFisio. Segundo Helenice, a pesquisa envolveu tanto os conhecimentos em Fisioterapia, quanto aspectos referentes ao design, já que Luis Paschoarelli também é professor do Departamento de Desenho Industrial da Unesp de Bauru.

Helenice conta que os sensores de ultra-sonografia que atualmente são utilizados causam frequentemente lesões e dores nas mãos, articulações e ombros dos médicos. Além disso o formato do aparelho não respeita a anatomia das mãos, causando incômodo durante sua utilização. Para mudar esse quadro, foram desenvolvidos três protótipos que tinham como objetivo reduzir os esforços repetitivos e diminuir a aplicação de força sobre os sensores. "Hoje os exames de ultra-sonografia são muito frequentes e muitos médicos estão expostos a uma sobrecarga de força que ocasiona dor no punho e nos ombros. Com um novo projeto de sensor de ultra-sonografia, pretendemos reduzir os movimentos e melhorar a distribuição da força aplicada pela mão", explica a professora.

Após ser utilizado em exames simulados, o novo formato do sensor foi bem aceito pela classe médica. Apesar disso, Helenice explica que o protótipo deve passar por outras mudanças caso o novo projeto seja utilizado em sensores produzidos em escala industrial. "Os médicos avaliaram que o sensor ficou mais leve e a manipulação ficou mais fácil. Poderíamos pensar agora em construir um sensor para os médicos canhotos, adequar o formato do aparelho para diferentes tamanhos de mãos e para as diferentes partes do corpo que serão examinadas", analisa a professora.

http://www2.ufscar.br/servicos/noticias.php?idNot=2234

 

 
 
  <-- Anterior     Próximo -->     Voltar  
 
 

 

Fundação de Apoio Institucional ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico
Rodovia Washington Luís, km 235 – Caixa Postal 147
CEP: 13565-905 – São Carlos, SP
Telefone: (016) 3351-9000 Fax: (016) 3351-9008
CNPJ: 66.991.647/0001-30    I.E.: 637.148.460.118
e-mail: fai@fai.ufscar.br